É comum ao se pensar em Próstata, logo lembrar do câncer de próstata ou aumento da próstata, porém, não só essas condições podem afetar a próstata e, também, a qualidade de vida, causando muita dor.

Então, um terceiro problema que também costuma causar dor e desconforto é a prostatite.

Pois é, a Prostatite chega a afetar um em cada seis homens, sendo o motivo de mais de dois milhões de visitas a médicos por ano.

O que é Prostatite

Prostatite é inflamação na próstata e, diferente do câncer e da hiperplasia benigna da próstata (HBP), que costumam afetar homens mais velhos, a prostatite pode afetar homens de qualquer idade.

A melhor coisa a fazer é se prevenir, ao notar qualquer sintoma abaixo, vale a pena começar alguma opção de tratamento natural como o uso do suplemento masculino renova prost ou outro semelhante.

Se mesmo fazendo isto os sintomas não melhorarem, dai é recomendado busca ajuda de um especialista para identificar a causa e indicar o melhor tratamento.

A prostatite, no entanto, pode ser classificada em quatro categorias, cada uma exigindo um tipo diferente de tratamento:

1. Infecção aguda da próstata

Ela aparece de repente,  causada por bactérias que viajam da uretra ou do reto até a próstata. Embora seja a forma menos comum, é a mais dramática de prostatite, começando de repente com febre alta, calafrios, dores articulares e musculares, fadiga profunda, dores  na base do pênis e atrás do escroto, dor na parte inferior das costas.

Conforme a próstata vai inchando vai ficando mais difícil urinar, e a corrente de urina pode ficar fraca e, dependendo da gravidade, pode ser  preciso uma hospitalização.

O tratamento costuma ser a base de antibióticos, sendo altamente eficazes para essa forma de prostatite e para aliviar as dores.

2. Prostatite bacteriana crônica

Também causado por bactérias, esse tipo de Prostatite é mais comum em homens mais velhos que têm HBP.

Diferentemente da forma aguda,  a prostatite bacteriana crônica é uma infecção leve e de baixo grau mas que pode persistir por semanas ou mesmo meses.

Embora, geralmente, não cause febre, são observados problemas como  uma vontade súbita de urinar, micção frequente, dor ao urinar, dores na próstata ou a necessidade de urinar à noite.

Foram relatados sintomas como dor lombar, dor no reto ou sensação de peso atrás do escroto, dor após a ejaculação e pode aparecer sangue no sêmen.

Esse tipo de Prostatite pode ser tratado com antibióticos, geralmente por um a três meses, mesmo assim, com a possibilidade da infecção se repetir.

3. Prostatite não bacteriana crônica

A prostatite crônica não bacteriana é também chamada de síndrome da dor pélvica crônica, sendo entre todas, a forma mais comum de prostatite.

Embora os sintomas sejam os mesmos da prostatite bacteriana crônica,  nenhuma bactéria é evidente, por isso, descobrir a causa é bem mais complicado.

Alguns estudiosos consideram que a prostatite crônica não bacteriana surja como resultado de condições interconectadas, podendo ser estresse, um agente infeccioso indetectável, algum trauma físico ou lesão na área geniturinária.

Por todo esse mistério ainda em torno desse tipo de Prostatite, o tratamento pode exigir vários tipos de medicação ou alguma terapia, dependendo dos tipos de sintomas.

4. Prostatite inflamatória assintomática

Esse tipo de Prostatite, geralmente, é detectado ao se fazer testes para outras condições, como infertilidade ou distúrbios da próstata.

Vale saber que esse tipo não apresenta sintomas, embora tenha a presença de glóbulos brancos na urina ou nas secreções da próstata. Assim, com a ausência de sintomas e com causa conhecida, esse tipo de Prostatite não costuma ser tratado.